Resumo

Clostridioides difficile (anteriormente Clostridium) é uma das principais causas de cuidados de saúde associados a diarréia, e está cada vez mais presente na comunidade. Historicamente, a infecção por C difficile foi considerada fácil de diagnosticar e tratar. Ao longo das últimas duas décadas, no entanto, as técnicas de diagnóstico mudaram de acordo com uma maior compreensão da fisiopatologia da infecção por C difficile e do uso de novas moléculas terapêuticas. A evolução do diagnóstico mostrou que houve um importante diagnóstico sub e errado da infecção por C difficile, enfatizando a importância dos algoritmos recomendados pelas sociedades europeias e norte – americanas de doenças infecciosas para obter um diagnóstico confiável. Anteriormente, metronidazol foi considerado a droga de referência para tratar c infecção difficile, mas mais recentemente vancomicina e outras drogas mais recentes são mostrados ter taxas de cura mais elevadas. A recorrência da infecção representa um parâmetro fundamental na avaliação de novos medicamentos, e o desafio é atingir a população certa com a molécula terapêutica adaptada. Em múltiplas recorrências, recomenda-se o transplante de microbiota fecal. Novas abordagens, incluindo anticorpos, vacinas e novas moléculas já estão disponíveis ou em fase de preparação, mas são necessários mais dados para apoiar a sua inclusão nas orientações práticas. Esta revisão tem como objetivo fornecer uma linha de base para os médicos para compreender e estratificar a sua escolha no diagnóstico e tratamento da infecção por C difficile com base nos dados mais recentes disponíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.